Foi por tantas vezes tentarem cortar minhas asas que...





Foi por tantas vezes
tentarem cortar
minhas asas
que as encolhi por um tempo.
Não foi covardia.
Eu chamo de autopreservação.
No momento certo,
alcei o voo mais bonito
que a Vida me permitiu.
Hoje, com asas fortes de Coragem,
voo e pouso quando e onde meus

Sonhos me permitem.
A Paz é meu descanso;
a Liberdade, minha alegria;
o Infinito, meu limite!
.
Autora: Inês Seibert

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

"A PALAVRA E A FLECHA LANÇADA NÃO VOLTAM ATRÁS"

Um resumo do dilúvio e a arca de Noé até os dias de hoje.