A linguagem das coisas




ESTAMOS CHEGANDO AO FINAL DO ANO!

UMA ÓTIMA OPORTUNIDADE DE FAZER AQUELA LIMPA

QUE VOCÊ DESEJA FAZER FAZ TEMPO...

A linguagem das coisas

Descartar parte de sua vida pode revelar tantas coisas com relação a si mesmo quanto várias sessões de terapia.
Aquilo que você guarda e o que joga fora, o que compra ou deixa de comprar, é um espelho que reflete fora o que você pensa e sente por dentro.

Mas por que nos apegamos a tantas coisas?

Os objetos são o que usamos para nos definir e para sinalizar aos outros quem somos. Sapatos, automóveis ou a decoração da casa são elementos que empregamos para exteriorizar nossa personalidade, tanto quanto para ajudar a construí-la.

No Neolítico, ser rejeitado pelo grupo significava morrer. Naquele tempo uma pessoa não tinha muitas chances de sobreviver se fosse deixada sozinha numa floresta. E não pense que você está imune a isso. Mesmo para aqueles que optaram por uma vida mais simples, o desejo de impressionar pode continuar latente por debaixo do pano.

Somos movidos pelas associações que damos às pessoas, situações e coisas. Colocamos etiquetas emocionais nelas e na verdade é a elas que somos ligados.

Observar nossas atitudes é o que vale, pois é o ponto de partida da busca pela consciência.

Pratique o desapego.

Mais importante que as coisas, são as pessoas.

* extraído da revista Vida Simples.

De Alma para Alma

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

"A PALAVRA E A FLECHA LANÇADA NÃO VOLTAM ATRÁS"

Um resumo do dilúvio e a arca de Noé até os dias de hoje.