quarta-feira, 28 de setembro de 2016

OS SALMOS – SAIBA QUANDO USAR CADA SALMO E ESTEJA PROTEGIDO(A)


Os Salmos são declarações ritmadas. Sua autoria é do Rei David e datam de cinco mil anos depois da morte do rei Salomão. São 150 salmos que expressam a verdade. Eles estão presentes entre o Antigo e Novo Testamento.
Existem salmos para curar, adquirir bens, para a família, para proteção, etc. A forma mais correta de se entoar um salmo é quase cantando.
A combinação de palavras ritimamente colocadas e verbalizadas que acarretam vibrações e produzem o efeito esperado.
Cada som no mundo terreno desperta no reino invisível a ação e a graça. Os anjos sempre rezam conosco.
Quando oramos nosso Anjo fica mais perto de nós o que facilita o anjo entender nossa intenção. Mantenha a fé e a expectativa.



Salmo 1 – Para auxiliar as pessoas que estão determinadas a alcançar um objetivo especial em suas vidas.
Salmo 2 – Para iluminar as pessoas que precisam se agarrar a uma força maior em um momento de dor.
Salmo 3 – Para fortalecer o espírito e a mente e para ajudar a realizar trabalhos difíceis.
Salmo 4 – Para aliviar o coração e a alma das angústias da vida e vencer honestamente causas judiciais.
Salmo 5 – Para sentir a presença de Deus em todos os momentos e para afastar energias negativas.
Salmo 6 – Para receber as graças necessárias, para ter uma vida tranqüila e receber auxilio nas horas de provações.
Salmo 7 – Para livrar o ambiente de energias negativas, pedir proteção e afastar a inveja e os problemas que impedem a felicidade a dois.
Salmo 8 – Para receber revelações através dos sonhos e para combater o desânimo e a depressão.
Salmo 9 – Para manter a esperança sempre viva, principalmente nos casos de doenças graves.
Salmo 10 – Para trazer alívio nos momentos de solidão, desamparo e dor.
Salmo 11 – Para anular as influências negativas, conquistar justiça e paz interior.
Salmo 12 – Para viver um grande amor repleto de compreensão, demonstrações de carinho e livre de falsidades.
Salmo 13 – Para fortalecer a fé, proteger contra ataques de animais venenosos e ataques cardíacos.
Salmo 14 – Para obter auxílio do próximo nos momentos de intrigas e aproximações enganosas.
Salmo 15 – Para desembaraçar negócios complicados, como divórcios, paternidade e heranças.
Salmo 16 – Para receber um conselho certo em uma decisão importante, como novos negócios, sociedades ou casamento.
Salmo 17 – Para estar mais ligado a Deus, receber uma graça no campo afetivo ou profissional.
Salmo 18 – Para agradecer uma bênção alcançada, como a cura de uma doença, a obtenção de conhecimentos e o desenvolvimento de dons naturais.
Salmo 19 – Para iluminar a intuição, atrair a sorte e o êxito em todos os setores da sua vida.
Salmo 20 – Para proporcionar grandeza à alma e, trazer tranqüilidade ao espírito e equilíbrio ao corpo.
Salmo 21 – Para aumentar a sintonia entre os casais, promover a felicidade conjugal e afastar as traições.
Salmo 22 – Para estimular a força de vontade diante das provações apresentadas pela vida.
Salmo 23 – Para afastar as aflições do espírito, as pessoas falsas e para conquistar um coração mais puro.
Salmo 24 – Para fortalecer a fé e obter a misericórdia de Deus, pedindo proteção contra os seus inimigos.
Salmo 25 – Para sintonizar à distância pessoas e objetos desaparecidos, que se deseja encontrar e não se sabe onde estão.
Salmo 26 – Para acalmar os nervos, afastar o medo e se proteger contra traições e ataques de inimigos.
Salmo 27 – Para descobrir falsos amigos e pessoas que costumam atacar injustamente.
Salmo 28 – Para adoração e temor a Deus a para ter luz e proteção nos seus caminhos.
Salmo 29 – Para reconhecer todo o poder e a glória de Deus e para respeitar pais e idosos.
Salmo 30 – Para captar as mensagens transmitidas pelos salmos e obter grandes vitórias.
Salmo 31 – Para conquistar a liberdade, eliminar as falhas e aumentar o amor dentro do coração.
Salmo 32 – Para viver em harmonia com todos ao seu redor e para evitar cometer os mesmos erros.
Salmo 33 – Para desempenhar bem o papel dado por Deus e cumprir as suas tarefas com boa vontade e alegria.
Salmo 34 – Para proteger as pessoas perseguidas injustamente, como pobres, idosos e menores abandonados.
Salmo 35 – Para proteger os animais contra o extermínio, os cativeiros, os maltratos e a extinção.
Salmo 36 – Para agilizar as mudanças referentes à obtenção de ganhos, novos negócios e para acelerar processos judiciais.
Salmo 37 – Para receber graças no casamento, na maternidade e para ter prosperidade em todos os campos.
Salmo 38 – Para alcançar a libertação, elevando a espiritualidade e preservando a paz interior.
Salmo 39 – Para ter sucesso em concursos públicos, vestibulares ou seleção para empregos.
Salmo 40 – Para receber auxílio nos momentos de sofrimento, como perdas de pessoas queridas, separações dolorosas ou traições.
Salmo 41 – Para trazer muita luz e paz ao amor e favorecer os passeios e as diversões.
Salmo 42 – Para trazer mais paz de espírito e atrair a proteção e a glória de Deus.
Salmo 43 – Para atrair energias positivas, estimular a fertilidade e desenvolver a compreensão.
Salmo 44 – Para estimular a confiança, a fé e a paciência, a fim de proporcionar clareza de expressão.
Salmo 45 – Para superar as dificuldades e atrair sorte nos campos profissional, emocional e espiritual.
Salmo 46 – Para agradecer bênçãos, vitórias, um amor verdadeiro e alegria alcançados.
Salmo 47 – Para afastar aflições do relacionamento afetivo e conservar as amizades sinceras.
Salmo 48 – Para atrair sabedoria nos momentos de decisão, fortalecer a espiritualidade e afastar o medo da morte.
Salmo 49 – Para a preservação da natureza: florestas, campos, jardins e espécies em extinção.
Salmo 50 – Para receber o perdão de Deus e fortalecer a sabedoria e a humildade.
Salmo 51 – Para usar de maneira correta o talento, a popularidade e a sabedoria para se destacar.
Salmo 52 – Para se prevenir contra opressão, tristeza, descrença e qualquer tipo de maldade.
Salmo 53 – Para afastar as pessoas perigosas, invejosas ou que desejam fazer mal aos outros.
Salmo 54 – Para se proteger contra as perseguições de inimigos, medos, perda de memória, fraudes e mentiras.
Salmo 55 – Para afastar inimigos impiedosos e que insistem em destruir as boas causas.
Salmo 56 – Para pedir misericórdia e lutar contra injustiças, tristezas e todos os tipos de energias negativas.
Salmo 57 – Para impedir a entrada de falsidades, mentiras, miséria, medos e dúvidas na sua vida.
Salmo 58 – Para se proteger de ladrões, assassinos, bandidos e todo tipo de opressão.
Salmo 59 – Para afastar as tristezas trazidas por tragédias no bairro, na cidade, no país e no mundo em geral.
Salmo 60 – Para auxiliar nas causas políticas em favor da Humanidade, afastar os inescrupulosos e iluminar os chefes de países.
Salmo 61 – Para a nação conservar a boa reputação, conquistar o reconhecimento merecido, preservar a saúde e favorecer os governantes, de acordo com a vontade divina.
Salmo 62 – Para viver em abundância, atraindo muita chuva e fertilidade para a terra, favorecendo as colheitas.
Salmo 63 – Para pedir proteção contra mentiras, maldades, vingança e pactos diabólicos.
Salmo 64 – Para esclarecer verdades ocultas e revelar mistérios que bloqueiam os caminhos para o sucesso.
Salmo 65 – Para combater tristezas e amarguras, ansiedade, depressão e desinteresse pela vida.
Salmo 66 – Para rogar por justiça e pelo recomeço de uma vida normal após longos períodos de batalha.
Salmo 67 – Para atrair a prosperidade às empresas, lavouras e aos trabalhadores.
Salmo 68 – Para auxiliar na realização de trabalhos difíceis e obtenção de vitória sobre os adversários
Salmo 69 – Para ter sucesso em tratamentos médicos e cirurgias complicadas.
Salmo 70 – Para superar humilhações, proporcionando auto-estima, confiança e força moral.
Salmo 71 – Para atrair paz e justiça para todos, visando a fraternidade, a liberdade e a abundância para todas as nações.
Salmo 72 – Para auxiliar o tratamento das doenças dos membros, dos rins e do coração. Combate problemas mentais e vícios em geral.
Salmo 73 – Para se defender de pessoas desonestas, maus espíritos e tristezas causadas por eles.
Salmo 74 – Para combater a tristeza, a ansiedade, as angústias e dormir com tranqüilidade.
Salmo 75 – Para trazer o fim de tantas batalhas, guerras pessoais, tiranias e poder que bloqueiam o progresso e a paz.
Salmo 76 – Para conquistar o amor, viver feliz e sem as preocupações e perturbações que entristecem a alma.


Salmo 77 – Para atrair o equilibrio entre corpo e espírito, alcançar a sabedoria e descobrir a verdadeira vocação.
Salmo 78 – Para afastar o desespero, a impaciência, a ansiedade e atrair a alegria de viver.
Salmo 79 – Para ser valorizado em seu trabalho e se destacar pelas suas capacidades.
Salmo 80 – Para se proteger contra calúnias, feitiços e combater as energias negativas.
Salmo 81 – Para obter a vitória sobre os inimigos, restabelecer a paz entre as pessoas e fortalecer os justos.
Salmo 82 – Para ajudar a Humanidade a se livrar das explorações religiosas, do radicalismo e do fanatismo.
Salmo 83 – Para acalmar os corações de líderes radicais, criminosos, pessoas invejosas e malvadas.
Salmo 84 – Para abençoar os doentes que estão hospitalizados e as pessoas que perderam a esperança.
Salmo 85 – Para obter a luz enviada por Deus e clarear todos os seus caminhos rumo ao sucesso.
Salmo 86 – Para receber apoio de amigos, chefes, familiares, pessoas influentes e também dos anjos.
Salmo 87 – Para comemorar as graças recebidas, as vitórias alcançadas e o sopro de vida recebido diariamente.
Salmo 88 – Para adquirir forças para enfrentar problemas relacionados ao trabalho, à saúde ou ao amor.
Salmo 89 – Para alcançar mais sabedoria para obter sucesso no seu trabalho e vencer os obstáculos da vida.
Salmo 90 – Para pedir luz e proteção para alcançar os objetivos referentes à vida afetiva e profissional.
Salmo 91 – Por ser o mais poderoso dos Salmos pode ser usado para todas as horas de necessidade, para agradecer e pedir proteção para tudo e todos.
Salmo 92 – Para conquistar disposição e concentração para os esportes, fortalecendo o espírito esportivo.
Salmo 93 – Para viver bem dentro da comunidade, com paz, alegria, compreensão, carinho e muito respeito.
Salmo 94 – Para se livrar de espíritos ruins, más influências de pessoas invejosas, aproximação de desafetos e energias negativas.
Salmo 95 – Para fortalecer o corpo e a alma, e aumentar a alegria de viver e a paz interior.
Salmo 96 – Para agradecer as bênçãos recebidas, divulgando a graça e expandindo as vitórias para todos.
Salmo 97 – Para manter as amizades sempre fortes, aumentando a harmonia, a fraternidade, o entusiasmo e a compreensão.
Salmo 98 – Para ter sempre a presença dos anjos e santos, respeitando o nome de Deus e observando as suas obras e bênção para a humanidade.
Salmo 99 – Para obter a misericórdia de Deus, conscientizar a mente e purificar o coração das pessoas.
Salmo 100 – Para fortalecer a justiça e favorecer os bons acontecimentos na vida das pessoas.
Salmo 101 – Para amparar as mães que desejam ter filhos, as que tem filhos com problemas mentais ou deficiências físicas e as que tem filhos com problemas com drogas ou outros vícios.
Salmo 102 – Para as pessoas idosas que necessitam de paciência e disposição para realizar serviços ou para praticar alguma atividade.
Salmo 103 – Para alívio nos momentos de desespero, como tempestades, trovoadas e vendavais.
Salmo 104 – Para atrair sucesso e riqueza nos negócios e no trabalho e para receber alguma herança até então impedida de ser repassada.
Salmo 105 – Para exercer o domínio sobre a fortuna, a fama, a diplomacia, os negócios, as viagens e sobre si mesmo.
Salmo 106 – Para sanar necessidades, como a fome, a sede, a miséria, a ignorância, a opressão, a angústia e o desgosto pela condição de vida.
Salmo 107 – Para evitar invasões na privacidade, na consciência, na moradia e no mais profundo e sagrado local do amor: o coração.
Salmo 108 – Para afastar as energias negativas de pessoas mentirosas, caluniadoras, invejosas e maquiavélicas.
Salmo 109 – Para buscar a Deus nos momentos de aflição, como doenças, cirurgias e resultado de exames, provas e concursos.
Salmo 110 – Para se livrar de assuntos angustiantes, como as tristezas, os males do corpo, da mente e da alma, desarmonias e desafetos.
Salmo 111 – Para aquecer o coração e a alma com muito amor e carinho, atrair a felicidade e os bons momentos ao lado de alguém especial.
Salmo 112 – Para fazer novos amigos e formar fortes laços de companheirismo, ajuda e parceria.
Salmo 113 – Para desenvolver virtudes, como bondade, misericórdia, compreensão, humildade e compaixão.
Salmo 114 – Para celebrar as obras do criador, saber demonstrar gratidão e atrair prosperidade para a sua vida.
Salmo 115 – Para afastar a mentira, a paixão não correspondida, o ciúme infundado e atrair a fé, a esperança e o amor.
Salmo 116 – Para invocar Deus e os anjos, e conservar a paz entre as pessoas, principalmente entre os casais.
Salmo 117 – Para fortalecer a sua fé no Criador e receber a proteção Divina, suportar as provocações da vida e alcançar o sucesso.
Salmo 118 – Para favorecer a nobreza de caráter, mantendo a harmonia interior, a compreensão e a obediência às leis de Deus.
Salmo 119 – Salmo especial para louvar ao Senhor e para a realização de todos os seus sonhos no campo do amor, do trabalho e das finanças.
Salmo 120 – Para se manter no emprego e atrair prosperidade para os negócios.
Salmo 121 – Para obter a graça Divina, buscando fortalecer e iluminar a sua espiritualidade.
Salmo 122 – Para eliminar energias negativas no ambiente, que causam tormentos espirituais e espalham tristezas.
Salmo 123 – Para facilitar a vida de casais que se separam, restabelecendo a paz, a confiança e fazendo brotar o sentimento de amizade e gratidão.
Salmo 124 – Para afastar paixões desenfreadas por pessoas erradas, envolvimento com viciados e dividas com agiotas.
Salmo 125 – Para consolar as pessoas tristes, aflitas, presas ou em situações difíceis de diversas ordens.
Salmo 126 – Para proteger a família e todos os bens possuídos, como a casa, o carro, aparelhos domésticos e profissionais.
Salmo 127 – Para atrair um grande amor repleto de virtudes, como honestidade, confiabilidade, inteligência e companheirismo.
Salmo 128 – Para fortalecer a sua fé em Deus, afastar o mal e vencer os inimigos.
Salmo 129 – Para se livrar das traições e dos traidores e alcançar a harmonia e a compreensão para viver em paz.
Salmo 130 – Para alcançar o perdão e se proteger contra as agressividades, evitando também ofender e magoar as pessoas.
Salmo 131 – Para se livrar do orgulho e aprender a viver com humildade, praticando e repassando conhecimentos para os necessitados.
Salmo 132 – Para manter o equilibrio e o pensamento firme nas orações, conservando a fé e a certeza de que tudo passa e que a vida permanecerá.
Salmo 133 – Para alcançar a cura de doenças nos olhos e nos órgãos vitais, tanto em adultos como em crianças.
Salmo 134 – Para agradecer a Deus pelas suas dádivas, pela vida e para pedir proteção dos animais e pela união dos povos.
Salmo 135 – Para se livrar dos invejosos, fazendo com que encontrem meios de concretizar seus sonhos.
Salmo 136 – Para suportar a tristeza nos casos de perdas de pessoas queridas, doenças graves, mágoas e humilhação.
Salmo 137 – Para diminuir a saudade, afastar as mágoas e fortalecer a sua espiritualidade.
Salmo 138 – Para proteção nas viagens em transportes aéreos e rodoviários, em dias conturbados e com chuva ou neblina.
Salmo 139 – Para se cercar da proteção Divina e se prevenir contra a feitiçaria, os espíritos sem luz, a calúnia e a perversidade.
Salmo 140 – Para ter cautela e paciência na hora de agir, falar e na convivência com as pessoas.
Salmo 141 – Para se proteger das tentações, dos inimigos disfarçados e das doenças contagiosas.
Salmo 142 – Para se livrar de aflições, desespero, tristezas e preocupações sem fundamento.
Salmo 143 – Para as pessoas queridas já falecidas, para que recebam a luz Divina e sejam encaminhadas ao descanso eterno.
Salmo 144 – Para superar as dificuldades do dia-a-dia, tomar a decisão certa e acelerar a solução de um problema complicado.
Salmo 145 – Para ter fé em Deus e confiar sem medo em suas resoluções e em seu amparo.
Salmo 146 – Para se fortalecer diante das fraquezas, do medo, das dúvidas e das desconfianças.
Salmo 147 – Para afastar ladrões, imprevistos, queda de raios e quedas perigosas de sua vida.
Salmo 148 – Para promover ação de graças, estimular o amor e agradecer pelas alegrias da vida.
Salmo 149 – Pelas vitórias alcançadas em todas as disputas apresentadas no seu dia-a-dia.

Salmo 150 – Para promover a harmonia e o respeito entre as nações, o amor entre as raçae por todas as curas em nome do Criador.
O Segredo

domingo, 25 de setembro de 2016

Sobre as línguas estranhas

Sobre as línguas estranhas...

Conforme Davi Pitches, aparentemente, há três manifestações distintas quanto ao uso de outras línguas:

1 - idiomas humanos: onde você fala palavras que não podem ser compreendidas pelos presentes (At 2.8), os discípulos falaram em línguas idiomáticas e as pessoas em Jerusalém compreendiam.

2 - línguas para o momento de adoração pública: é necessário uma interpretação dada pelo Espírito Santo para a compreensão (1 Co 14.27).

3 - línguas desconhecidas para edificação própria: ao orar em línguas o espírito é edificado, a pessoa ora em mistérios com Deus (1Co 14.4).

Extraído do livro "Dons Espirituais - 21 dias descobrindo e Ativando. Pág. 238.

Pr Marcelo Gonçalves

sábado, 24 de setembro de 2016

AS SEIS VESTES DE JESUS por Norbert Lieth

Li esse texto e resolvi compartilhar com vocês e todos os créditos são de Norbert Lieth. 
Fatima Lis









Há algum tempo visitei o Wartburg, o castelo onde Lutero traduziu a Bíblia. Há muitas coisas interessantes para ver ali – além da sala onde Lutero trabalhou. Por exemplo, nas paredes há retratos de todo tipo. Chama a atenção que as mulheres se apresentam em seus melhores trajes. E os homens usam vestimentas ricamente enfeitadas com medalhas, ou então magníficos uniformes ou armaduras. As pessoas faziam-se retratar em toda a sua dignidade, principesca ou real. Diz o ditado popular: “O hábito faz o monge”. De fato, muitas vezes as roupas dizem algo a respeito do caráter de uma pessoa, suas idiossincrasias ou preferências. É bem verdade que há pessoas ricas e influentes que se vestem de forma simples, mesmo que os tecidos que usam sejam muito caros. Assim, uma simples olhada de relance realmente pode dar uma impressão errada. As estrelas e celebridades da nossa época normalmente não poupam esforços nem dinheiro a fim de se apresentarem com as melhores e mais chamativas roupas, apenas para continuaremin e para que se fale delas. Como o Senhor Jesus, o Rei dos reis e Senhor do senhores, estava vestido no dia de Sua morte (crucificação)? Ele usou seis vestimentas diferentes. Em minha opinião, Deus quer nos transmitir uma mensagem por meio delas. Vamos analisá-las uma a uma.


A roupa resplandecente



Quando Pôncio Pilatos descobriu que Jesus era da Galiléia, e que Herodes, cujo domínio incluía a Galiléia, estava em Jerusalém naquele momento, ele enviou o Senhor até Herodes (Lc 23.6-7). Fazia tempo que este desejava ver um sinal milagroso realizado por Jesus. Mas como o Senhor não respondeu às suas perguntas (v.9) nem realizou milagres, o aparente interesse por Jesus imediatamente se transformou em zombaria e gozação: “E Herodes, com os seus soldados, desprezou-o, e, escarnecendo dele, vestiu-o de uma roupa resplandecente, e tornou a enviá-lo a Pilatos” (v.11, RC). Outras traduções chamam esta roupa de “manto esplêndido”, “manto branco” ou “manto real”. É óbvio que Herodes queria usar isso para expor a reivindicação da realeza de Jesus ao deboche público. Pois, pouco antes Jesus tinha respondido à pergunta de Pilatos: “És tu o rei dos judeus?” com “Tu o dizes” (v.3).Todo o Sinédrio reunido naquele lugar tinha escutado essas palavras, e os mesmos homens agora acusavam Jesus diante de Herodes, com certeza também pela Sua reivindicação de ser o Rei dos judeus (cf. Lc 23.3,10). Com esta roupa resplandecente que Herodes tinha mandado que vestissem em Jesus, ele O tinha exposto à zombaria das pessoas. Elas zombavam dEle por causa daquilo que Jesus realmente era: o Rei dos judeus; a verdade absoluta e comprovada a respeito de Jesus foi debochada. Algo muito parecido acontece hoje: inúmeras publicações sobre Jesus arrastam a verdade a respeito de Sua Pessoa na lama. Nenhuma outra religião é tão vilipendiada quanto o verdadeiro cristianismo, pois a mensagem do Evangelho de Jesus Cristo que ela prega é a verdade. Por trás disso está o pai da mentira, o diabo (Jo 8.44), que combate essa verdade com todos os meios de que dispõe. 


A roupa resplandecente colocada sobre Jesus também significa que o Senhor tomou sobre si todos os pecados, mesmo aqueles que o ser humano tanto gosta de usar, mas que não o fazem feliz: roupas maravilhosas, esplêndidas, e jóias preciosas. Os homens gostam de se apresentar com elas, mas, na maioria das vezes, por baixo só estão escondidos egoísmo, orgulho e uma ambição ilimitada. A “roupa resplandecente” dos homens tenciona esconder a sua miséria e natureza pecaminosa, o “manto branco” precisa ocultar a hipocrisia, o “manto esplêndido” tenta neutralizar o mau cheiro da debilidade humana e o “manto real” procura testemunhar imortalidade, mesmo que o ser humano seja totalmente mortal. Jesus vestiu, tomou sobre si e carregou tudo isso. Agora Ele transforma qualquer pessoa que crê nEle em “rei e sacerdote” (cf. Ap 1.5-6).


O manto escarlate

Depois que Pilatos tinha mandado açoitar Jesus (Mt 27.26), o texto continua: “Logo a seguir, os soldados do governador, levando Jesus para o pretório, reuniram em torno dele toda a coorte. Despojando-o das vestes, cobriram-no com um manto escarlate” (vv. 27-28). Outras traduções falam em “manto de púrpura”, “capa de soldado púrpura” ou “manto vermelho”. Tratava-se de uma capa vermelha do tipo usado por soldados. Foi uma capa dessas 


que colocaram nos ombros de Jesus. Sem saber, em seu deboche e zombaria os soldados fizeram algo cujo significado mais profundo indica o motivo do sacrifício de Jesus. Afinal, o “manto vermelho” ou “escarlate” nos lembra todo aquele sangue derramado sobre a terra, as incontáveis guerras e as muitas vítimas inocentes. Ele proclama que o homem não se entende com seu próximo, que há apenas brigas entre eles. Ele nos lembra assaltos, violência, poder desmedido e injustiça, assassinatos e homicídios e o espírito assassino inventivo da humanidade. Ele nos lembra as grandes guerras (entre os povos) e as pequenas guerras (nas famílias, entre vizinhos, etc.). O “manto escarlate” do soldado representa ódio e vingança, retaliação, busca por poder e exercício da tirania. Mas ele também expressa que o homem não vale nada para os outros homens. Esse “manto vermelho do soldado” deveria estar sempre diante dos nossos olhos. Jesus quis tomar nossa culpa sobre si de forma voluntária, e fez isso de forma conseqüente. Essa era a Sua missão, a Sua tarefa. Jesus tomou sobre si a culpa de todas as discórdias do relacionamento humano, todo ódio e todo assassinato: esta é a verdade ilustrada pelo “manto vermelho do soldado”, que Ele permitiu que fosse colocado em Seus ombros.


Suas próprias roupas

“E, depois de o haverem escarnecido, tiraram-lhe a capa, vestiram-lhe as suas vestes e o levaram para ser crucificado” (Mt 27.31, ACF). As roupas de Jesus eram feitas por mãos de homem, para serem usadas por homens; eram de material terreno. Jesus usou essas roupas durante a Sua vida. Sendo Deus, Ele vestiu essa “roupa” para se tornar completamente homem. Ele praticamente “vestiu nossa pele” e assumiu humanidade completa. E como Jesus usou essas roupas feitas por homens, elas também realizaram milagres. Uma mulher tocou a bainha da Sua roupa e imediatamente ficou curada (Mc 5.25ss.). As roupas de Jesus indicam que Ele se tornou homem, e nos ensinam que Ele quer tornar a nossa humanidade completa. E quando nós O convidamos a preencher nossa humanidade, Cristo, a esperança da glória (Cl 1.27), vive em nós. Suas roupas se transformaram em símbolo da redenção, pois quatro soldados as tomaram e dividiram entre si (Jo 19.23). As roupas de um condenado à cruz eram despojos dos carrascos. Assim, as roupas de Jesus, crucificado vicariamente pela nossa culpa, transformaram-se em “vestes de salvação” para nós (Is 61.10). Tiraram dele a “capa” e “vestiram-lhe as suas vestes”. Jesus não era nem como Herodes (manto esplêndido) nem como os soldados (capa). Ele os usou e depois foi despido delas. Mas Ele continuou sendo verdadeiro homem.

A túnica

“Os soldados, pois, quando crucificaram Jesus, tomaram-lhe as vestes e fizeram quatro partes, para cada soldado uma parte; e pegaram também a túnica. A túnica, porém, era sem costura, toda tecida de alto a baixo. Disseram, pois, uns aos outros: Não a rasguemos, mas lancemos sortes sobre ela para ver a quem caberá – para se cumprir a Escritura: Repartiram entre si as minhas vestes e sobre a minha túnica lançaram sortes. Assim, pois, o fizeram os soldados” (Jo 19.23-24). 


O texto diz expressamente que essa túnica tinha sido tecida sem usar qualquer costura. As roupas do sumo sacerdote também eram feitas dessa forma: “Farás também a sobrepeliz da estola sacerdotal toda de estofo azul. No meio dela, haverá uma abertura para a cabeça; será debruada essa abertura, como a abertura de uma saia de malha, para que não se rompa” (Êx 28.31-32). A diferença estava no fato de que o sumo sacerdote usava essa peça por cima de todas as outras, e Jesus a usava por baixo. Isso também tem um significado mais profundo: Jesus Cristo é o verdadeiro Sumo Sacerdote, ainda ocultado. Ele veio ao mundo como Filho de Deus e revelou-se como Messias de Israel em Seus atos. Mas era preciso que também ficasse claro que Ele era mais que isso: o eterno Sumo Sacerdote de Seu povo. No fim de Sua vida ficou claro qual era o Seu destino inicial. O povo celebrou-O como Filho de Davi, louvou-O como Messias e grande Profeta. Contavam com a vitória sobre os romanos e o estabelecimento de um reino messiânico. Mas eles não perceberam que primeiro Jesus teria de morrer pelos pecados dos homens, como o Cordeiro de Deus. Podemos chegar a Ele, o Senhor crucificado e ressuscitado, com toda a nossa culpa. Ele intercede por nós, é nosso Advogado diante do Pai celeste: Seu sacrifício vale perante Deus. Jesus é tudo de que nós precisamos! A túnica de Jesus não tinha costuras. O sacerdócio de Jesus é indivisível, não há nenhuma costura que possa ser desfeita, ele é uma unidade. Seu sacerdócio não pode ser dividido com Maria, outra assim chamada mediadora, nem com os sacerdotes eclesiásticos, nem com o papa nem com nenhuma outra religião. Somente Ele é o eterno e verdadeiro Sumo Sacerdote, o único Mediador entre Deus e os homens (cf. 1 Tm 2.5-6).


O pano

Como Jesus fora despido de Suas roupas e de Sua túnica, Ele ficou dependurado na cruz coberto apenas por um pano. Estava praticamente nu. O Salmo 22.17-18 O descreve desta forma: “Posso contar todos os meus ossos; eles me estão olhando e encarando em mim. Repartem entre si as minhas vestes e sobre a minha túnica deitam sortes”. Hermann Menge traduziu a última parte do versículo 17 desta forma: “...mas eles olham para mim e se deleitam com a visão”. A nudez retrata pecado e vergonha. Ela personifica o pecado original. Desde Adão todos nós nascemos em pecado, por isso chegamos ao mundo nus. Em Gênesis 3.7 lemos: “Abriram-se, então, os olhos de ambos; e, percebendo que estavam nus, coseram folhas de figueira e fizeram cintas para si”. Adão disse a Deus: “Ouvi a tua voz no jardim, e, porque estava nu, tive medo, e me escondi” (v.10). E Deus respondeu: “Quem te fez saber que estavas nu? Comeste da árvore de que te ordenei que não comesses?” (v.11). O primeiro Adão pegou o fruto proibido da árvore, e tornou-se o pecador cuja iniqüidade pesa sobre todos os homens. O último Adão foi pendurado num madeiro e “feito pecado” (2 Co 5.21). Jesus tomou sobre si a culpa original do pecado a fim de eliminar a culpa do homem. Quem crê em Jesus não tem somente o perdão de seus pecados, mas também do pecado original, no qual todos nós nascemos.

Os lençóis

“Tomaram, pois, o corpo de Jesus e o envolveram em lençóis (de linho) com os aromas, como é de uso entre os judeus na preparação para o sepulcro” (Jo 19.40). O linho era usado nas vestes sacerdotais (Lv 6.10). Também os tapetes, toalhas e cortinas do tabernáculo eram feitos de linho (Êx 26.1,31,36; cf. também 1 Cr 15.27). Era costume que os judeus mortos fossem sepultados enrolados em lençóis de linho. Jesus foi “sepultado” como um verdadeiro judeu. Mais tarde, quando Jesus ressuscitou, o texto diz:“Então, Simão Pedro, seguindo-o, chegou e entrou no sepulcro. Ele também viu os lençóis, e o lenço que estivera sobre a cabeça de Jesus, e que não estava com os lençóis, mas deixado num lugar à parte” (Jo 20.6-7). Em minha opinião, os lençóis nos lembram as obras da lei, o sacerdócio do Antigo Testamento, o tabernáculo, as leis e prescrições, as obras e os esforços dos judeus que seguiam a lei. Jesus foi colocado no túmulo envolto em linho, mas na Sua ressurreição Ele deixou os lençóis para trás. Ele cumpriu a lei de forma completa. Ele é o cumprimento da lei (Mt 5.17). Nele qualquer pessoa que Lhe pertença é tornada completa.

Aplicação pessoal

Jesus usou o manto esplêndido de Herodes, o orgulho e a soberba da humanidade sem Deus. O Senhor permitiu que Lhe colocassem o manto vermelho dos soldados, o ódio abismal e a brutalidade do ser humano. Jesus usou Suas próprias roupas: Ele se tornou completamente homem. Ele usou uma túnica sem costuras: Ele é o verdadeiro Sumo Sacerdote. Na cruz Ele foi coberto somente com um pano. Jesus levou não somente os pecados, mas o pecado original. Na morte o Senhor usou os lençóis de linho, depois despidos na ressurreição. Jesus é o cumprimento da lei. Agora toda pessoa renascida é chamada a despir o velho homem e vestir o novo homem em Cristo: “...[despojai-vos] do velho homem, que se corrompe segundo as concupiscências do engano, e [renovai-vos] no espírito do vosso entendimento, e[revesti-vos] do novo homem, criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade” (Ef 4.22-24)“...revesti-vos do Senhor Jesus Cristo” (Rm 13.14). Publicado anteriormente na revista Chamada da Meia-Noite, março de 2007.


Norbert Lieth

Mulheres Israelitas

MULHERES QUE CONHECEM A PALAVRA📖 💁🏻Mulheres Israelitas Josué 8 📖Palavra nenhuma houve... que Josué não lesse para toda a congregação ...